Descarte e reciclagem de lixo especial

Pilhas, baterias e lâmpadas fluorescentes são classificadas como lixo especial, que é todo o material que apresenta algum grau de periculosidade e necessita ser descartado cuidadosamente.

O seu descarte não pode ser feito no lixo comum ou com o lixo reciclável, pois esse descuido pode resultar em complicações como a contaminação do solo e da água, causando doenças às pessoas que possam entrar em contato esses resíduos nos locais de descarte.

Esses produtos possuem substâncias tóxicas na sua composição, e em situações de descarte incorreto, podem ser danificados e liberar essas substâncias, que se acumulam na natureza e oferecem riscos à saúde e à natureza.

Outros resíduos considerados especiais são aqueles resultantes da construção civil e de algumas atividades industriais, restos de demolição e embalagens de agrotóxicos ou veneno. Eles também devem receber tratamento, manipulação e transporte específico, a fim de evitar problemas com contaminações e acidentes.

O Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) incentiva a participação do comércio com a disponibilização de postos de coleta para pilhas e baterias usadas, com o apoio da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS – Lei 12.305/2010) que também incentiva a logística reversa, na qual empresas (principalmente as fabricantes desses produtos), governo e consumidores devem estar comprometidos para viabilizar essa coleta.

Ao final da sua vida útil, pilhas e baterias devem ser armazenadas em um plástico resistente, evitando o seu contato com outros materiais e com a umidade e prevenindo possíveis vazamentos. Assim, poderão ser encaminhadas a um ponto de coleta, proporcionando o seu recolhimento para tratamento adequado.

A reciclagem de pilhas é um processo que pode recuperar até 100% do material, e ocorre de acordo com as seguintes etapas:

  • Triagem: separação por tipo e marca e envio para processamento
  • Trituração: a capa das pilhas e baterias é removida para que as substâncias internas possam ser tratadas
  • Processo químico: processo de reação química para recuperação de sais e óxidos metálicos, que podem ser reaproveitados como matéria-prima em outros processos industriais, como na produção de corantes e pigmentos
  • Processo térmico: os produtos são levados a um forno industrial em alta temperatura para separar e recuperar o zinco em sua forma metálica, para que possa ser utilizado como matéria-prima na produção de novas pilhas e baterias

Outra alternativa para os resíduos especiais é a incineração, que por meio da queima dos resíduos, diminuirá o seu volume e irá garantir uma destinação final segura para o material restante. Entretanto, a empresa responsável por esse processo deve estar em conformidade com todas as normas e possuir a autorização de órgãos especializados, a fim de evitar danos ao meio ambiente.

 

Separe o seu lixo e destine-o para locais adequados, evitando problemas para a sua saúde e a do planeta!

 

Fontes: eCycle, Pensamento Verde, Setor Reciclagem

Adicionar comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *